Ensaio aberto na Casa da Cultura e Summer Night Session na Praia de Copacabana

Olá a todos
 
Avizinha-se um fim de semana de excelência no Barreiro, com dois eventos quase-surpresa marcados para sexta e sábado.
 
Na sexta-feira, dia 23, abrimos as portas do inigualável espaço da Casa da Cultura da Baía do Tejo, para que Pedro Sousa, Rodrigo Pinheiro & Gabriel Ferrandini, três “altas patentes” do novo jazz português, mostrem algum do trabalho que lá estão a desenvolver, numa Residência Artística com o patrocínio da Baía do Tejo que se estende até início de Julho e culmina com um concerto final na Biblioteca Municipal.
 
 
No sábado, 24, vamos pela primeira vez à especial Praia de Copacabana para a nossa tradicional Summer Night Session, inserida nos Espaços Vivos 2017, e logo com um convidado do calibre de DJ Maboku, excelso representante da editora Príncipe Discos, que vem levando a todos os cantos da Europa a música dançante única que se vai fazendo nos bairros periféricos e “problemáticos” da Grande Lisboa: tarrachos, afrohouse, kuduro, e um vale-tudo electrónico numa da mais entusiasmante música de dança do presente e do futuro.
 
 
Ambos os eventos são de entrada livre.
 
Até lá!
 

Performance no Reservatório Elevado Do Alto da Paiva

O 80º Aniversário da Água Pública no Barreiro proporcionará inusitados espectáculos sonoros no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, uma das mais icónicas e reconhecíveis estruturas na rede de abastecimento de água no Concelho.

Na sequência de uma Open Call internacional para propostas artísticas, que resultou em mais de uma centena de candidaturas, foram escolhidos quatro projectos que celebram a relação entre a Água e o Som, oriundos do Reino Unido, França, Brasil e Portugal.

Melaina Barnes é uma artista britânica, membro fundador do Breathing Space Collective, grupo que tem vindo a desenvolver nos últimos anos um vasto catálogo de trabalhos site-specific. Jean-Philippe Drecourt é um artista sonoro a residir actualmente em Portugal, tendo recentemente (e curiosamente) completado uma tese de mestrado acerca de fugas de água em redes de abastecimento. Juntos, apresentarão a peça “Tap The Rain”, que combina vocalizações com a manipulação de vários dos sons que documentam as várias estruturas da Rede de Abastecimento e Saneamento do Barreiro.

Luís Bittencourt é um percussionista, compositor e investigador de origem brasileira, actualmente a residir no Porto. Com trabalho desenvolvido no campo das novas músicas, dedica particular atenção a instrumentos percussivos pouco habituais, e investigou, em contexto académico, o uso da água enquanto fonte sonora através do estudo da obra “Water Music”, do compositor chinês Tan Dun. É precisamente esta obra que virá interpretar no Reservatório do Alto da Paiva.

Alberto Lopes é um dos artistas associados da Sonoscopia, associação cultural portuense que reúne vários dos mais destacados músicos e criadores sonoros do norte do país. Na atuação do fim de semana de 27 e 28 de Maio utilizará os “Otolith Organs”, instrumentos de criação colectiva que emitem som em ambiente aquoso, inspirados nos otólitos – estruturas moleculares localizadas no ouvido interno, responsáveis pelo equilíbrio postural.

Carlos Santos é um músico e coleccionador sonoro de Lisboa, com um extenso trabalho quer na área dos field recordings / documentação sonora, quer no campo da improvisação, no qual é dos membros mais ativos da rede de improvisadores nacionais e internacionais ligados à celebrada editora Creative Sources. Nuno Torres é um saxofonista, também de Lisboa, e também dos mais activos membros da comunidade alargada do jazz mais livre e da improvisação na capital. Apresentarão a peça “Screaming Tower”, que combina a instrumentação tradicional com a utilização, em tempo real, de vários elementos sonoros presentes quer no interior quer no exterior do Reservatório.

Ver Evento

Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva

José Bica – “O Voo do Peixe” [Bolsa de Criação OUT.RA 2017]

inaugura: “Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva”

O Músico e Artista Sonoro barreirense José Bica (Y Basics, Grooveyard Junkies) é o recipiente da Bolsa de Criação Local atribuída pela OUT.RA – Associação Cultural em 2017, no âmbito da qual tem vindo a desenvolver um trabalho de reflexão sonora sobre o património material e imaterial da cidade do Barreiro.

“O Vôo do Peixe” é o título atribuído pelo músico a este trabalho cujas apresentações públicas se desenvolverão em três momentos / níveis, dos quais o primeiro, de nome “Subúrbio Sonoro”, é uma Instalação Sonora Interactiva localizada na ADAO – Associação Desenvolvimento Artes e Oficios.

Inaugura dia 13 Maio, pelas 17h00, e estará aberta ao público todos os fins de semana até ao dia 3 de Junho, inclusive.

A entrada é livre.

80 Anos de Água Pública no Barreiro – Programação OUT.RA

A OUT.RA – Associação Cultural associa-se ao município do Barreiro nas comemorações que assinalam, em 2017, os 80 Anos da Rede Pública de Abastecimento de Água do Concelho. 
 
Depois do lançamento da Open Call para performances no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, que conta já com mais de uma centena de respostas de músicos e artistas sonoros de quatro continentes, é agora anunciado o programa de actividades construído na relação entre a Água e o Som, a levar a cabo entre Abril e Setembro do corrente ano.
 
Uma das vertentes da programação agora anunciada está intimamente ligada à documentação sonora das várias estruturas que compõem a Rede Municipal de Águas e Saneamento, nas quais têm vindo a ser desenvolvidas captações desde o passado mês de Novembro. A partir destes, será montada uma exposição, a inaugurar no final de Junho no Auditório Municipal Augusto Cabrita, que procurará ilustrar a dimensão sonora oculta desta complexa rede que se estende por todo o Concelho.
 
Em Setembro, este arquivo sonoro – que expandirá também o acervo já existente de retratos sonoros do Concelho decorrente do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul – será disponibilizado ao público numa plataforma online.
 
Antes, no final de Maio, terá lugar a anunciada performance no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, onde os quatro artistas seleccionados no decurso da Open Call poderão juntar estes documentos sonoros aos seus próprios materiais musicais.
 
A segunda vertente da programação trabalha o espaço público e a criação musical relacionada com a Água e com os materiais presentes na sua rede de distribuição, procurando ir para além do ano em que se assinala este 80º aniversário da Água Pública no Concelho.
 
Assim, já no final de Abril será inaugurada a escultura sonora Boron, da autoria do Srosh Ensemble (um colectivo de músicos sediado no Porto, dedicado à execução de instrumentos não convencionais), com uma estrutura  que permite utilizar o escoamento das águas pluviais para produzir padrões rítmicos percutidos nos objectos metálicos que estas encontram. 
 
Em Julho, será instalado na frente ribeirinha da cidade um conjunto de instrumentos musicais de acesso público, fazendo uso de alguns dos materiais encontrados nas várias estruturas que compõem a Rede Municipal de Águas e Saneamento.
 

Calendarização do Programa de Actividades

 
Abril
  • Inauguração da Escultura Sonora “Boron”
Maio
  • Performance no Reservatório Elevado do Alto da Paiva
Junho
  • Exposição no Auditório Municipal Augusto Cabrita
Julho
  • Instrumentos Musicais de Acesso Público 
Agosto
  • Ponto de Escuta do Arquivo Sonoro nas Festas do Barreiro
Setembro
  • Lançamento do Arquivo Sonoro online

OUT.RA Música: Sexta-feira no Velvet e em Março na ADAO

​Olá a todos,
 
É já na próxima sexta-feira que o Velvet Be Jazz Club acolhe o trompetista e compositor espanhol Ivan González para um concerto duplo com a participação de alunos e professores da Escola de Jazz do Barreiro e de músicos como Albert Cirera, Alvaro Rosso e Vasco Furtado. Uma oportunidade única para ouvir alguns dos mais destacados nomes do jazz espanhol da actualidade, e para testemunhar ainda uma sessão de Improvisação Conduzida que promete música única e irrepetível. 
 
Reservas de bilhete podem ser efectuadas, como habitualmente, para o mail info@outra.pt
 
Depois, em Março, vamos até à ADAO – Associação para o Desenvolvimento das Artes e Ofícios, ​para a apresentação de um trabalho de mais de três semanas realizado em parceria com a Associação Nós e com o músico argentino Alan Courtis. Um trabalho que retoma os fantásticos desenvolvimentos do workshop “Música e Necessidades Especiais”, realizado pela primeira vez em 2016, e que todos os presentes na sua primeira apresentação pública têm ainda certamente vivo na memória.
 
Até já!

OUT.RA MÚSICA – FEVEREIRO

Regressa a programação regular OUT.RA Música para 2017, com dois concertos imperdíveis no Velvet Be Jazz Club em Fevereiro.

No dia 10, e após o termos ouvido na edição de 2014 do OUT.FEST, o mago das seis cordas Norberto Lobo regressa para apresentar “Muxama”, o seu mais recente e maravilhoso disco, com selo da editora Three:Four Records. Na primeira parte, um dos cantautores mais promissores das novas gerações, e figura de proa da dinâmica editora Xita Records – Primeira Dama.

A 24, acolhemos o catalão Iván González, trompetista, compositor e condutor, que apresentará, em dose dupla, a sua Signs of Freedom Orchestra – primeiro, com a participação de alunos da Escola de Jazz do Barreiro, que participarão num workshop na mesma tarde, e depois em quarteto com os cúmplices habituais Albert Cirera, Alvaro Rosso e Vasco Furtado.

Até lá!

OUT.RA Música – Novembro

Olá a tod@s

A nossa programação regular está de regresso em Novembro, com a exibição, já este sábado, do filme “Tom Zé: Astronauta Libertado”, retrato do histórico e incomparável músico brasileiro, no Cine Clube do Barreiro.

Dia 25 é a vez da ADAO acolher a performance do colectivo ESTUDiO3, resultante de uma residência artística que este tem vindo a desenvolver no Barreiro, trabalhando sons da cidade e dispositivos de “electrónica barata”, em exercícios fascinantes de som e interactividade.

Ambos os eventos são de entrada livre.

Até lá!

OUT.FEST 2016: Hans-Joachim Irmler (Faust) & Jaki Liebezeit (Can) também actuam no Barreiro

Olá a tod@s

É com o maior dos entusiasmos que revelamos hoje a 18ª (e última) confirmação para a edição de 2016 do Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro: nada mais nada menos que a colaboração entre duas autênticas lendas das músicas aventureiras, ambos membros originais daquelas que são provavelmente as duas mais marcantes bandas do movimento a que se chamou krautrock, cujo epicentro nos anos 70 em terras germânicas deixa ainda hoje marcas profundas em toda a música actual.

IRMLER + LIEBEZEIT, no dia 8, na ADAO.

Irmler + Liebezeit – Live in Eupen 2015 (part 1/3) from Pascal Houba on Vimeo.

Saiba mais:

  OUT.RA   Facebook   Site do Festival

OUT.FEST 2016 – Últimas Confirmações

Anunciamos hoje os 10 novos nomes que completam o cartaz da 13ª edição do OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, que se perfila como mais uma celebração da criação sem rede, da música sem géneros ou estilos definidos e, claro, da cidade que é parte integrante do Festival.

Jamal Moss, histórico produtor contra-corrente de Chicago, é um dos destaques da programação, com duas actuações que ilustrarão o seu amplo espaço de trabalho: a solo enquanto Hieroglyphic Being, e numa formação inédita com o vibrafonista britânico Orphy Robinson, o trompetista nacional Yaw Tembé e o histórico Evan Parker, que, assim, também ele, subirá por duas vezes ao palco da edição de 2016 do festival.

Da vizinha Espanha acolhemos o pianista Agustí Fernandez, nome grande do jazz europeu finalmente em estreia por terras barreirenses, e para o contingente britânico desta edição um reforço de peso: a produtura de origem nigeriana Klein, talvez um dos mais destacados nomes emergentes no plano internacional do ano que corre, em estreia absoluta em Portugal.

No que diz respeito a músicos nacionais, acolhemos o regresso do guitarrista Manuel Mota, no seu primeiro solo absoluto em edições do OUT.FEST, bem como a estreia no festival de Polido e dos Gume; já Van Ayres apresenta-se a solo em antecipação do seu novo disco, e André Gonçalves regressa, mais de 10 anos após a sua última apresentação no Barreiro, com dois dos mais interessantes discos de electrónica ambiental do último ano na bagagem.

Por fim, estreia nacional também para a nova colaboração do norte-americano Eric Douglas Porter (aka Afrikan Sciences) com a francesa Gael Segalen – o duo, baptizado Les Gracies, desenvolverá uma residência de recolhas sonoras no território da Baía do Tejo, e terá ainda acesso irrestrito ao arquivo sonoro do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, integrando os sons da cidade no espectáculo que apresentará.

O passe global e os bilhetes diários encontram-se à venda na Bilheteira Online, sendo que todas as informações sobre o programa e o festival estão disponíveis em www.outfest.pt

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro e a Baía do Tejo.af_o-f-2016_cartaz_a3

OUT.FEST 2016 – Últimas Confirmações

Anunciamos hoje os 10 novos nomes que completam o cartaz da 13ª edição do OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, que se perfila como mais uma celebração da criação sem rede, da música sem géneros ou estilos definidos e, claro, da cidade que é parte integrante do Festival.

Jamal Moss, histórico produtor contra-corrente de Chicago, é um dos destaques da programação, com duas actuações que ilustrarão o seu amplo espaço de trabalho: a solo enquanto Hieroglyphic Being, e numa formação inédita com o vibrafonista britânico Orphy Robinson, o trompetista nacional Yaw Tembé e o histórico Evan Parker, que, assim, também ele, subirá por duas vezes ao palco da edição de 2016 do festival.

Da vizinha Espanha acolhemos o pianista Agustí Fernandez, nome grande do jazz europeu finalmente em estreia por terras barreirenses, e para o contingente britânico desta edição um reforço de peso: a produtura de origem nigeriana Klein, talvez um dos mais destacados nomes emergentes no plano internacional do ano que corre, em estreia absoluta em Portugal.

No que diz respeito a músicos nacionais, acolhemos o regresso do guitarrista Manuel Mota, no seu primeiro solo absoluto em edições do OUT.FEST, bem como a estreia no festival de Polido e dos Gume; já Van Ayres apresenta-se a solo em antecipação do seu novo disco, e André Gonçalves regressa, mais de 10 anos após a sua última apresentação no Barreiro, com dois dos mais interessantes discos de electrónica ambiental do último ano na bagagem.

Por fim, estreia nacional também para a nova colaboração do norte-americano Eric Douglas Porter (aka Afrikan Sciences) com a francesa Gael Segalen – o duo, baptizado Les Gracies, desenvolverá uma residência de recolhas sonoras no território da Baía do Tejo, e terá ainda acesso irrestrito ao arquivo sonoro do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, integrando os sons da cidade no espectáculo que apresentará.

O passe global e os bilhetes diários encontram-se à venda na Bilheteira Online, sendo que todas as informações sobre o programa e o festival estão disponíveis em www.outfest.pt

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro e a Baía do Tejo.af_o-f-2016_cartaz_a3

Agenda OUT.RA para Setembro

Enquanto preparamos a divulgação do cartaz completo do 13º OUT.FEST (recordem os nomes já confirmados aqui), é com um sorriso rasgado que anunciamos a nossa programação regular OUT.RA Música para o mês de Setembro, repleta de nomes internacionais do mais alto gabarito e com a promessa de concertos inesquecíveis e o melhor dos aperitivos para o grande acontecimento de Outubro.

Assim, este mês vamos não uma mas duas vezes ao Velvet Be Jazz Club, primeiro, no dia 17, com o fantástico guitarrista norte-americano Chuck Johnson, um dos máximos expoentes do fingerpicking contemporâneo, acabado de lançar um fascinantes disco pela prestigiadíssima editora Three Lobed, bem secundado pelo projecto que junta o guitarrista barreirense Berlau (Fernando Ramalho) ao saxofonista A.M. Ramos.

Depois, a 24, um duplo concerto que se avizinha bombástico – com o lendário Tom Carter, guitarrista dos inigualáveis Charalambides e grande viajante psicadélico das 6 cordas eléctricas, e o regresso do prodigioso baterista Chris Corsano, desta vez em duo com Rodrigo Amado, saxofonista que é, cada vez mais, uma das figuras de proa do jazz europeu e máximo motivo de orgulho para a música nacional.

Para completar uma trilogia de sábados de eleição, a 1 de Outubro exibimos, em estreia nacional no Cine Clube do Barreiro, o filme “But the Word Dog Does not Bark”, que acompanha de perto uma das mais recentes tournées do Schlippenbach Trio, talvez uma das duas grandes formações da história do jazz europeu, e cujo concerto no OUT.FEST 2011 ainda perdurará por certo na nossa memória – e que melhor ocasião para ver este filme, que nos oferece ângulos privilegiados do labor de Alexander von Schlippenbach, Paul Lovens e Evan Parker,  do que em vésperas da actuação do trio deste último (a outra das duas grandes formações da história do jazz europeu) no OUT.FEST 2016?

Sim, prometemos um Setembro a um ritmo incrível, com alguma da melhor música do mundo – e depois, logo logo a seguir, mais um Outubro em modo OUT.FEST: imprevisível, surpreendente e fundamental.

No Barreiro, pois claro.

Até já!