OUT.RA Música em Julho: Ka Baird & Louise Bock | Rodrigo Amado, Marco Franco & Gonçalo Almeida

Julho está a chegar, e com o calor vêm mais duas sessões de excelência no Barreiro. 
 
No sábado, dia 7, recebemos o trio de RODRIGO AMADO, MARCO FRANCO e GONÇALO ALMEIDA, representantes de mais alto nível do novo jazz nacional, cujo disco “The Attic” povoou praticamente todas as listas (nacionais e internacionais) de melhores lançamentos do ano em 2017. O concerto decorrerá em formato matinée (às 18h00), e realizar-se-á num dos terraços mais carismáticos do centro da cidade, com vista soberba e setting perfeito.
 
No sábado seguinte, dia 14, a ADAO – Associação Desenvolvimento Artes & Ofícios acolhe duas artistas de referência nas músicas exploratórias norte-americanas da última década: KA BAIRD e LOUISE BOCK, membros do colectivo SPIRES THAT IN THE SUNSET RISE, e que aqui apresentarão os seus trabalhos a solo, com edições aclamadas pela Drag City e Feeding Tube, respectivamente. 
 
O primeiro concerto é de entrada livre, mediante reserva prévia e obrigatória para o mail info@outra.pt, enquanto que os bilhetes para dia 14 têm o preço habitual de 5€ para o público em geral e 2,5€ para jovens até aos 25 anos. Podem ser adquiridos no Posto de Turismo do Barreiro, O Pial e Vitoriana Pub, ou reservados para o mesmo endereço de e-mail.
 
Até já!

Vaiapraia e as Rainhas do Baile | Opus Pistorium

VAIAPRAIA & AS RAINHAS DO BAILE | OPUS PISTORUM

Bilhetes: 5€ / 2,5€ menores de 25 anos

À venda no Posto de Turismo do Barreiro e O Pial.

VAIAPRAIA & AS RAINHAS DO BAILE

Vaiapraia e as Rainhas do Baile são um trio punk empenhado em criar imagens poéticas através de canções pop sinceras e imediatas. O disco debutante 1755 (Spring Toast Records, 2016) é fruto de um trabalho de simbiose em banda, que mereceu uma festa de lançamento esgotada na Galeria Zé dos Bois e destaque em publicações como o Público, a Time Out ou a Blitz. Esta é uma música que por vezes nos anima e apela à acção, e por outras nos leva no caminho errante do desejo. Para além da lírica explícita e honesta a que alguns alinham com a tendência musical a que se dá o nome de queercore, o trabalho do trio extravasa essa categoria adoptando, por exemplo, tanto a energia do garage rock, como a da pop de pastilha elástica. As aparições ao vivo da banda são ocasiões especiais nas quais estes temas (e as histórias que eles trazem) ganham uma nova vida, tendo já partilhado o palco com bandas como Trash Kit, Peach Kelli Pop ou Feels.

OPUS PISTORUM

Tirando o seu nome de uma infâme novela de Henry Miller, este projecto do barreirense Tiny Montgomery inspira-se na face mais instável da electrónica e no espírito DIY do punk rock. O novo disco, “Há um espectro pela Europa”, viaja em várias direcções, com um pé firmemente assente nos ritmos africanos e outro na rave culture dos anos 90 – como lemos no bandcamp do artista: “bleach-house neuro-dance from Barreiro”.

GREG FOX / BRUNO CONTREIRA

GREG FOX

O nova-iorquino Greg Fox é, desde há muito, um nome de culto para os mais conhecedores do underground norte-americano: é o baterista dos Liturgy, uma das bandas do metal vanguardista mais apreciadas e polémicas da última década, e uma das forças criativas dos Zs, banda inclassificável no mundo dos estilos inclassificáveis.

É um dos bateristas mais talentosos e originais deste milénio, que alia de forma muito pouco comum o virtuosismo a uma necessidade de progressão estética e até espiritual que o vê a pisar territórios praticamente inexplorados pelos seus congéneres actuais.

Vem ao Barreiro e à ADAO pela segunda vez (actuou lá no OUT.FEST 2015 com os Zs) apresentar o seu segundo álbum, “The Gradual Progression”, no qual alia a percussão puramente acústica com um muito próprio sistema de processamento em tempo real, que chama de Sensory Percussion.

BRUNO CONTREIRA

Estreia há muito aguardada do novo projecto a solo de uma das figuras mais activas da cena barreirense desde, pelo menos, os finais dos anos 90.

É em nome próprio que apresenta o trabalho que tem vindo a desenvolver no último par de anos, numa linguagem muito diferente daquela que nos habituamos a associar ao músico (com Fast Eddie Nelson ou os Funkaína, entre tantos outros projectos). As progressões lentas e a toada escura são agora dominantes, numa proposta entre o ambient, a darkwave ou a electrocústica de vertente cinemática de colheita David Lynch – possíveis referências para o universo sonoro que apresentará.

Reservas:  info@outra.pt

OUT.RA Música em Setembro – GREG FOX na ADAO

Olá a todos,

Enquanto não divulgamos o cartaz completo do OUT.FEST 2017 – que está para muito em breve – anunciamos já o próximo concerto da nossa programação regular, a ter lugar na ADAO, no dia 14 de Setembro.

E que melhor forma para assinalar a reentré do que recebendo o prodigioso baterista nova-iorquino GREG FOX, reconhecido pelo seu papel nos LITURGY, GUARDIAN ALIEN, ZS e tantos outros projectos incontornáveis da actualidade? O percussionista vem ao Barreiro apresentar o seu novíssimo álbum a solo, sendo que a primeira parte estará a cargo de um músico que é parte fundamental na história dos últimos 15 anos da música no Barreiro: BRUNO CONTREIRA.

Os bilhetes já podem ser reservados, como sempre através de e-mail para info@outra.pt.

Até já!

Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva

José Bica – “O Voo do Peixe” [Bolsa de Criação OUT.RA 2017]

inaugura: “Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva”

O Músico e Artista Sonoro barreirense José Bica (Y Basics, Grooveyard Junkies) é o recipiente da Bolsa de Criação Local atribuída pela OUT.RA – Associação Cultural em 2017, no âmbito da qual tem vindo a desenvolver um trabalho de reflexão sonora sobre o património material e imaterial da cidade do Barreiro.

“O Vôo do Peixe” é o título atribuído pelo músico a este trabalho cujas apresentações públicas se desenvolverão em três momentos / níveis, dos quais o primeiro, de nome “Subúrbio Sonoro”, é uma Instalação Sonora Interactiva localizada na ADAO – Associação Desenvolvimento Artes e Oficios.

Inaugura dia 13 Maio, pelas 17h00, e estará aberta ao público todos os fins de semana até ao dia 3 de Junho, inclusive.

A entrada é livre.

Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva

José Bica – “O Voo do Peixe” [Bolsa de Criação OUT.RA 2017]

inaugura: “Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva”

O Músico e Artista Sonoro barreirense José Bica (Y Basics, Grooveyard Junkies) é o recipiente da Bolsa de Criação Local atribuída pela OUT.RA – Associação Cultural em 2017, no âmbito da qual tem vindo a desenvolver um trabalho de reflexão sonora sobre o património material e imaterial da cidade do Barreiro.

“O Vôo do Peixe” é o título atribuído pelo músico a este trabalho cujas apresentações públicas se desenvolverão em três momentos / níveis, dos quais o primeiro, de nome “Subúrbio Sonoro”, é uma Instalação Sonora Interactiva localizada na ADAO – Associação Desenvolvimento Artes e Oficios.

Inaugura dia 13 Maio, pelas 17h00, e estará aberta ao público todos os fins de semana até ao dia 3 de Junho, inclusive.

A entrada é livre.

Pega Monstro / Doum

Regresso aguardado das Pega Monstro ao Barreiro, depois de um concerto que parece já longínquo, em 2015, para apresentação ao vivo do celebrado e histórico disco “Alfarroba”, que colocou as irmãs Julia e Maria Reis nas bocas e palcos da Europa (e, mais recentemente, do Brasil, onde parecem ter um culto de seguidores assinalável).
 
“Casa de Cima” é o nome do novo disco, novamento distribúido pela inglesa Upset The Rythm, cujo single de avanço “Partir a Loiça” adianta já, para os mais distraídos, o que se pode esperar de uma banda cuja evolução, maturidade e singularidade continuam a fazer por merecer todos os elogios que se têm produzido nestes últimos 4 ou 5 anos – até o direito à categoria própria de “dream punk”. 
 
Na 1ª parte actuará Doum (nome de baptismo: Mohamed Paquete), figura criativa enigmática da galáxia barreirense, talentoso e prolífico produtor caseiro de uma forma muito pessoal de dancehall, com um espólio continuamente crescente que contrasta com as suas raras aparições ao vivo.

Pega Monstro ao vivo – 5 Maio na ADAO

Regresso aguardado das Pega Monstro ao Barreiro, depois de um concerto que parece já longínquo, em 2015, para apresentação ao vivo do celebrado e histórico disco “Alfarroba”, que colocou as irmãs Julia e Maria Reis nas bocas e palcos da Europa (e, mais recentemente, do Brasil, onde parecem ter um culto de seguidores assinalável).
 
“Casa de Cima” é o nome do novo disco, novamento distribúido pela inglesa Upset The Rythm, cujo single de avanço “Partir a Loiça” adianta já, para os mais distraídos, o que se pode esperar de uma banda cuja evolução, maturidade e singularidade continuam a fazer por merecer todos os elogios que se têm produzido nestes últimos 4 ou 5 anos – até o direito à categoria própria de “dream punk”. 
 
Na 1ª parte actuará Doum (nome de baptismo: Mohamed Paquete), figura criativa enigmática da galáxia barreirense, talentoso e prolífico produtor caseiro de uma forma muito pessoal de dancehall, com um espólio continuamente crescente que contrasta com as suas raras aparições ao vivo.
 
Reservas de bilhetes (ao preço de 5€) para o mail habitual info@outra.pt.

ESTRANHAS ENTRANHAS / DAVID MARANHA ENSEMBLE / DJ PROBLEMAS / CALCUTÁ

David Maranha é, há quase três décadas (desde a fundação dos pioneiros Osso Exótico), dos mais reconhecidos e consistentes aventureiros sonoros nacionais. No trabalho com o seu ensemble, registado em discos fundamentais como “Marches of the New World” ou o mais recente “Salt Ashes, Goat Skin”, leva à estratosfera as lições fundamentais da música eterna de LaMonte Young através da abrasividade rock dos Velvet Underground.

O trio Estranhas Entranhas é, provavelmente, a mais barreirense das bandas barreirenses; verdadeira música working class no wave, resultado de uma combinação de personalidades tão heterogénea quanto profundamente real e de uma intensidade sem par.

DJ Problemas é um dos mais novos valores das músicas profundamente contemporâneas e inclassificavéis que têm especialmente vindo a ser trazidas a lume pela Príncipe, editora lisboeta que em meia-dúzia de anos fez o tecno-kuduro-experimental-tudo dos subúrbios de Lisboa viajar por todo o mundo.

Calcutá é o alter-ego de Teresa Castro, guitarrista dos muito interessantes lisboetas Mighty Sands, num trabalho de canções e explorações ghost-folk, nocturnas, planantes e misteriosas.

Uma noite de OUT.RA Música especialmente plural e diversa, em estilos, abordagens e gerações.

 

 

 

OUT.RA Música em Abril: Victor Herrero | Pedro Sousa & Gabriel Ferrandini

Olá a todos,

O ciclo de programação OUT.RA Música continua em Abril, ao acolhermos pela primeira vez no Barreiro o multifacetado músico espanhol Victor Herrero (acompanhante habitual da diva Josephine Foster), que apresentará o seu recente disco “Astrolábio”, feito de um olhar diferente sobre o potencial da guitarra portuguesa. 

Também no palco da ADAO testemunharemos o regresso de uma dupla que tem cada vez mais (e)levado o novo jazz português aos ouvidos de meio mundo, eles que detêm o título oficioso de “mais intenso concerto” da história das nossas programações: Pedro Sousa & Gabriel Ferrandini.

Aceitamos, como habitualmente, reservas para o mail info@outra.pt.

Até lá!

Ver Evento

OUT.RA Música: Sexta-feira no Velvet e em Março na ADAO

​Olá a todos,
 
É já na próxima sexta-feira que o Velvet Be Jazz Club acolhe o trompetista e compositor espanhol Ivan González para um concerto duplo com a participação de alunos e professores da Escola de Jazz do Barreiro e de músicos como Albert Cirera, Alvaro Rosso e Vasco Furtado. Uma oportunidade única para ouvir alguns dos mais destacados nomes do jazz espanhol da actualidade, e para testemunhar ainda uma sessão de Improvisação Conduzida que promete música única e irrepetível. 
 
Reservas de bilhete podem ser efectuadas, como habitualmente, para o mail info@outra.pt
 
Depois, em Março, vamos até à ADAO – Associação para o Desenvolvimento das Artes e Ofícios, ​para a apresentação de um trabalho de mais de três semanas realizado em parceria com a Associação Nós e com o músico argentino Alan Courtis. Um trabalho que retoma os fantásticos desenvolvimentos do workshop “Música e Necessidades Especiais”, realizado pela primeira vez em 2016, e que todos os presentes na sua primeira apresentação pública têm ainda certamente vivo na memória.
 
Até já!