Skip to main content

LARAAJI de regresso ao Barreiro

Depois de um inesquecível concerto e de uma original sessão de yoga no OUT.FEST 2015, o mágico LARAAJI regressa ao Barreiro para uma extensiva e imersiva performance musical, onde a ‘zihter’ electrónica, mbire, gongo, espanta espíritos e voz se combinam para conduzir os presentes para uma jornada interior rumo a sítios de profundo desprendimento, descanso e harmonia. 

Laraaji é criador de uma música panegírica do cosmos e um convicto praticante e promotor da meditação transcendental através do riso, baseado em Nova Iorque. Começou a tocar música nas ruas na década de 70, improvisando temas hipnóticos na sua ‘zither’ personalizada que processa com efeitos electrónicos, motivado pela sua pesquisa pessoal e entendimento de culturas místicas orientais. Brian Eno viu-o a tocar num parque público e convidou o músico a gravar um álbum para a sua série ‘Ambient’. 

Desde então, Laraaji toca regularmente por todo o planeta, em festivais mas também em centros de yoga, criando espaços sonoros de transcendência. Um viajante do mundo, capaz de invocar a imensidão do cosmos exterior e das profundezas do íntimo individual como mais ninguém, para nos oferecer um concerto que é – verdadeiramente – uma experiência de vida.

Aceitamos já reservas para o concerto, que decorrerá na Biblioteca Municipal no dia 29 de Novembro. Os bilhetes têm o preço de 5€.

CANCELADO: WILLIAM PARKER / JOHN DIKEMAN / LUÍS VICENTE / ONNO GOVAERT

CONCERTO CANCELADO
Infelizmente, e por motivos de saúde inesperados, William Parker não poderá deslocar-se à Europa para os vários concertos agendados nas próximas semanas – entre eles, a sua agora adiada estreia barreirense, acompanhado de John Dikeman, Luís Vicente e Onno Govaert.
 
Acreditamos que a sua presença no Barreiro será uma realidade no futuro próximo. Pelo cancelamento deste espectáculo, no entanto, pedimos as nossas desculpas aos muitos interessados.
 

Aplicamos muitas – talvez demasiadas – vezes o epíteto de “lenda” aos músicos que vamos tendo o privilégio de programar no Barreiro, mas que outro adjectivo utilizar no caso de William Parker?

O contrabaixista, improvisador, escritor e educador nova-iorquino, 65 anos de idade, é um dos mais brilhantes contrabaixistas do jazz livre de todos os tempos (assim o disse, ipsis verbis, uma autoridade como o jornal The Village Voice), e apresenta-se neste concerto rodeado por nomes como o saxofonista John Dikeman (com quem mantém, mais Hamid Drake, um trio explosivo), o baterista Onno Govaert e o trompetista Luís Vicente (ambos figuras de uma nova geração europeia de aventureiros).

O diálogo entre a inspiração afro americana, espiritual e orgânica, na senda do legado de Coltrane, Don Cherry ou Ayler, e a improvisação de veia europeia, a oportunidade de testemunhar este encontro de gerações e escolas, a visão que será ter William Parker a tocar num espaço quotidiano da cidade… será necessário usar – uma vez mais – a palavra “imperdível”?

OUT.FEST 2017 – Cartaz completo anunciado, bilhetes diários já à venda

Olá a todos,

Anunciamos hoje o cartaz completo do 14º OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, a decorrer entre 4 e 7 de Outubro, como habitualmente em vários espaços da cidade.

O cartaz final do OUT.FEST 2017 completa-se com a presença de figuras de proa das mais diversas proveniências da experimentação musical: o trio nova-iorquino Black Dice, banda incontornável nestas quase duas décadas do novo milénio, que ajudou a redefinir por completo as ligações entre a música electrónica de dança e a abstração inclassificável, é uma delas, bem como o também norte-americano (mas baseado desde há décadas na Europa) Charlemagne Palestine, figura icónica da escola minimalista do séc. XX, notável também pelo humor que sempre soube acrescentar num meio académico sempre “sério” e low-profile.

O canadiano Alex Zhang Hungtai, notório pelo seu projecto Dirty Beaches, vem ao Barreiro mostrar o trabalho que tem desenvolvido em trio com David Maranha e Gabriel Ferrandini, após uma bem-sucedida tournée europeia no início do ano. De regresso ao OUT.FEST está o veterano Sei Miguel, após um hiato de apresentações públicas, com o seu novo quarteto, sendo que a representação nacional se completa com o DJ Nigga Fox, uma das figuras máximas da editora Príncipe, que tem colocado a música de dança da periferia norte de Lisboa nos palcos e bocas de toda a Europa, com os Putas Bêbadas, também de regresso ao festival com o novo álbum “Cruzeiro de Velho” na bagagem, e com o produtor lisboeta DJ Problemas.

Estes sete nomes juntam-se assim aos doze já previamente anunciados, para uma edição que assinalará a estreia de mais um espaço icónico da cidade no roteiro do festival – a Igreja de Santa Maria, um dos três Monumentos Nacionais do Concelho, que acolherá o concerto de abertura deste OUT.FEST com a colaboração entre o músico Jonathan Uliel Saldanha e os grupos corais locais TAB e Be Voice, no dia 4 de Outubro. O Museu Industrial da Baía do Tejo, o Auditório Municipal Augusto Cabrita e a ADAO completam o leque de espaços que acolherão os espectáculos desta 14ª edição do festival.

O passe global para o festival continua à venda, e estão agora disponíveis também os bilhetes diários, com preços entre os 8€ (dia 4) e os 20€ (dia 7). Para mais informações basta consultar o site em www.outfest.pt

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro, a Baía do Tejo e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa. A programação é uma parceria OUT.RA / Filho Único.

Programa completo e alinhamento final:

4 Outubro (4ªf)

Igreja de Santa Maria

Jonathan Uliel Saldanha & Coral TAB + Coro B-Voice

5 Outubro (5ªf)

Museu Industrial da Baía do Tejo

Caterina Barbieri

Charlemagne Palestine

Quarteto de Sei Miguel

6 Outubro (6ªf)

Auditório Municipal Augusto Cabrita

Pere Ubu (The Moon Unit)

Casa Futuro (Pedro Sousa, Johan Berthling & Gabriel Ferrandini)

Lolina (Inga Copeland)

7 Outubro (sáb)

ADAO

Bookworms

Nocturnal Emissions

This is not This Heat

Jejuno

Simon Crab

Colectivo Vandalismo

Gyur

Black Dice

DJ Nigga Fox

Putas Bêbadas

Alex Zhang Hungtai, David Maranha & Gabriel Ferrandini

DJ Problemas

OUT.RA Música em Setembro – GREG FOX na ADAO

Olá a todos,

Enquanto não divulgamos o cartaz completo do OUT.FEST 2017 – que está para muito em breve – anunciamos já o próximo concerto da nossa programação regular, a ter lugar na ADAO, no dia 14 de Setembro.

E que melhor forma para assinalar a reentré do que recebendo o prodigioso baterista nova-iorquino GREG FOX, reconhecido pelo seu papel nos LITURGY, GUARDIAN ALIEN, ZS e tantos outros projectos incontornáveis da actualidade? O percussionista vem ao Barreiro apresentar o seu novíssimo álbum a solo, sendo que a primeira parte estará a cargo de um músico que é parte fundamental na história dos últimos 15 anos da música no Barreiro: BRUNO CONTREIRA.

Os bilhetes já podem ser reservados, como sempre através de e-mail para info@outra.pt.

Até já!

OUT.FEST 2017: Novas confirmações

Anunciamos hoje mais 4 nomes para o cartaz do 14º OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, a decorrer entre 4 e 7 de Outubro, como habitualmente em vários espaços da cidade.

Deste novo leque de confirmações destaque para o primeiro artista italiano na história do festival, a jovem compositora Caterina Barbieri, nome em ascensão fulgurante que lançou já este ano “Patterns of Consciousness”, álbum que tem vindo a figurar nas mais variadíssimas listas de melhores discos do ano que corre.

País também em estreia no festival é a Rússia, de onde chega (via Reino Unido) Lolina, a mais recente encarnação da icónica Inga Copeland (ex-Hype Williams), trazendo na bagagem o seu álbum / vídeo “Live in Paris”, enigmática peça multimédia lançada online no final de 2016.

A engrossar o contingente nacional e o lote de artistas emergentes nesta edição do OUT.FEST estará o Coletivo Vandalismo, grupo portuense ligado à editora Eye For An Eye Recordings, e o produtor lisboeta Gyur, parte da Cratera, um grupo de criadores de conteúdos digitais com epicentro na  Grande Lisboa.

O primeiro lote de passes globais a preço reduzido já esgotou, estando estes agora disponíveis ao preço de 30€, via Bilheteira Online e locais associados. Podem adquiri-lo através do link www.outfest.pt.

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro, a Baía do Tejo e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa.

Primeiros nomes para o 14º OUT.FEST

Anunciamos hoje os primeiros 8 nomes para o cartaz do 14º OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, a decorrer entre 4 e 7 de Outubro, como habitualmente em vários espaços da cidade.

Deste primeiro leque de confirmações salienta-se, desde logo, a presença de alguns nomes com várias décadas de trabalho de inovação, progressismo e experimentação continuada, como sejam os norte-americanos Pere Ubu, liderados pelo icónico David Thomas, ou os britânicos This Heat (rebaptizados This is Not This Heat desde o seu ressurgimento há um par de anos), Nocturnal Emissions ou Simon Crab (do projecto Bourbonese Qualk).

No que diz respeito aos talentos emergentes, lugar para apresentações do produtor nova-iorquino Nik Dawson, sob o nome Bookworms, da portuguesa (e agora estabelecida em Viena) Jejuno e do trio de destacadíssimos representantes do novo jazz europeu Casa Futuro (colaboração entre os lusos Pedro Sousa e Gabriel Ferrandini e o sueco Johan Berthling).

A finalizar este primeiro lote de artistas, destaque para um projecto especial que une o músico e produtor portuense Jonathan Uliel Saldanha aos grupos corais TAB (composto por trabalhadores da autarquia do Barreiro) e Be Voice, que apresentarão a nova peça “Plethora”, composta na sequência de um trabalho em desenvolvimento há já vários meses.

passe global para o festival já está à venda, numa quantidade limitada ao preço especial de 25€. Podem desde já adquiri-lo aqui

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro, a Baía do Tejo e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa.

Ensaio aberto na Casa da Cultura e Summer Night Session na Praia de Copacabana

Olá a todos
 
Avizinha-se um fim de semana de excelência no Barreiro, com dois eventos quase-surpresa marcados para sexta e sábado.
 
Na sexta-feira, dia 23, abrimos as portas do inigualável espaço da Casa da Cultura da Baía do Tejo, para que Pedro Sousa, Rodrigo Pinheiro & Gabriel Ferrandini, três “altas patentes” do novo jazz português, mostrem algum do trabalho que lá estão a desenvolver, numa Residência Artística com o patrocínio da Baía do Tejo que se estende até início de Julho e culmina com um concerto final na Biblioteca Municipal.
 
 
No sábado, 24, vamos pela primeira vez à especial Praia de Copacabana para a nossa tradicional Summer Night Session, inserida nos Espaços Vivos 2017, e logo com um convidado do calibre de DJ Maboku, excelso representante da editora Príncipe Discos, que vem levando a todos os cantos da Europa a música dançante única que se vai fazendo nos bairros periféricos e “problemáticos” da Grande Lisboa: tarrachos, afrohouse, kuduro, e um vale-tudo electrónico numa da mais entusiasmante música de dança do presente e do futuro.
 
 
Ambos os eventos são de entrada livre.
 
Até lá!
 

Performance no Reservatório Elevado Do Alto da Paiva

O 80º Aniversário da Água Pública no Barreiro proporcionará inusitados espectáculos sonoros no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, uma das mais icónicas e reconhecíveis estruturas na rede de abastecimento de água no Concelho.

Na sequência de uma Open Call internacional para propostas artísticas, que resultou em mais de uma centena de candidaturas, foram escolhidos quatro projectos que celebram a relação entre a Água e o Som, oriundos do Reino Unido, França, Brasil e Portugal.

Melaina Barnes é uma artista britânica, membro fundador do Breathing Space Collective, grupo que tem vindo a desenvolver nos últimos anos um vasto catálogo de trabalhos site-specific. Jean-Philippe Drecourt é um artista sonoro a residir actualmente em Portugal, tendo recentemente (e curiosamente) completado uma tese de mestrado acerca de fugas de água em redes de abastecimento. Juntos, apresentarão a peça “Tap The Rain”, que combina vocalizações com a manipulação de vários dos sons que documentam as várias estruturas da Rede de Abastecimento e Saneamento do Barreiro.

Luís Bittencourt é um percussionista, compositor e investigador de origem brasileira, actualmente a residir no Porto. Com trabalho desenvolvido no campo das novas músicas, dedica particular atenção a instrumentos percussivos pouco habituais, e investigou, em contexto académico, o uso da água enquanto fonte sonora através do estudo da obra “Water Music”, do compositor chinês Tan Dun. É precisamente esta obra que virá interpretar no Reservatório do Alto da Paiva.

Alberto Lopes é um dos artistas associados da Sonoscopia, associação cultural portuense que reúne vários dos mais destacados músicos e criadores sonoros do norte do país. Na atuação do fim de semana de 27 e 28 de Maio utilizará os “Otolith Organs”, instrumentos de criação colectiva que emitem som em ambiente aquoso, inspirados nos otólitos – estruturas moleculares localizadas no ouvido interno, responsáveis pelo equilíbrio postural.

Carlos Santos é um músico e coleccionador sonoro de Lisboa, com um extenso trabalho quer na área dos field recordings / documentação sonora, quer no campo da improvisação, no qual é dos membros mais ativos da rede de improvisadores nacionais e internacionais ligados à celebrada editora Creative Sources. Nuno Torres é um saxofonista, também de Lisboa, e também dos mais activos membros da comunidade alargada do jazz mais livre e da improvisação na capital. Apresentarão a peça “Screaming Tower”, que combina a instrumentação tradicional com a utilização, em tempo real, de vários elementos sonoros presentes quer no interior quer no exterior do Reservatório.

Ver Evento

Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva

José Bica – “O Voo do Peixe” [Bolsa de Criação OUT.RA 2017]

inaugura: “Subúrbio Sonoro – Instalação Sonora Interactiva”

O Músico e Artista Sonoro barreirense José Bica (Y Basics, Grooveyard Junkies) é o recipiente da Bolsa de Criação Local atribuída pela OUT.RA – Associação Cultural em 2017, no âmbito da qual tem vindo a desenvolver um trabalho de reflexão sonora sobre o património material e imaterial da cidade do Barreiro.

“O Vôo do Peixe” é o título atribuído pelo músico a este trabalho cujas apresentações públicas se desenvolverão em três momentos / níveis, dos quais o primeiro, de nome “Subúrbio Sonoro”, é uma Instalação Sonora Interactiva localizada na ADAO – Associação Desenvolvimento Artes e Oficios.

Inaugura dia 13 Maio, pelas 17h00, e estará aberta ao público todos os fins de semana até ao dia 3 de Junho, inclusive.

A entrada é livre.

Pega Monstro ao vivo – 5 Maio na ADAO

Regresso aguardado das Pega Monstro ao Barreiro, depois de um concerto que parece já longínquo, em 2015, para apresentação ao vivo do celebrado e histórico disco “Alfarroba”, que colocou as irmãs Julia e Maria Reis nas bocas e palcos da Europa (e, mais recentemente, do Brasil, onde parecem ter um culto de seguidores assinalável).
 
“Casa de Cima” é o nome do novo disco, novamento distribúido pela inglesa Upset The Rythm, cujo single de avanço “Partir a Loiça” adianta já, para os mais distraídos, o que se pode esperar de uma banda cuja evolução, maturidade e singularidade continuam a fazer por merecer todos os elogios que se têm produzido nestes últimos 4 ou 5 anos – até o direito à categoria própria de “dream punk”. 
 
Na 1ª parte actuará Doum (nome de baptismo: Mohamed Paquete), figura criativa enigmática da galáxia barreirense, talentoso e prolífico produtor caseiro de uma forma muito pessoal de dancehall, com um espólio continuamente crescente que contrasta com as suas raras aparições ao vivo.
 
Reservas de bilhetes (ao preço de 5€) para o mail habitual info@outra.pt.

80 Anos de Água Pública no Barreiro – Programação OUT.RA

A OUT.RA – Associação Cultural associa-se ao município do Barreiro nas comemorações que assinalam, em 2017, os 80 Anos da Rede Pública de Abastecimento de Água do Concelho. 
 
Depois do lançamento da Open Call para performances no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, que conta já com mais de uma centena de respostas de músicos e artistas sonoros de quatro continentes, é agora anunciado o programa de actividades construído na relação entre a Água e o Som, a levar a cabo entre Abril e Setembro do corrente ano.
 
Uma das vertentes da programação agora anunciada está intimamente ligada à documentação sonora das várias estruturas que compõem a Rede Municipal de Águas e Saneamento, nas quais têm vindo a ser desenvolvidas captações desde o passado mês de Novembro. A partir destes, será montada uma exposição, a inaugurar no final de Junho no Auditório Municipal Augusto Cabrita, que procurará ilustrar a dimensão sonora oculta desta complexa rede que se estende por todo o Concelho.
 
Em Setembro, este arquivo sonoro – que expandirá também o acervo já existente de retratos sonoros do Concelho decorrente do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul – será disponibilizado ao público numa plataforma online.
 
Antes, no final de Maio, terá lugar a anunciada performance no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, onde os quatro artistas seleccionados no decurso da Open Call poderão juntar estes documentos sonoros aos seus próprios materiais musicais.
 
A segunda vertente da programação trabalha o espaço público e a criação musical relacionada com a Água e com os materiais presentes na sua rede de distribuição, procurando ir para além do ano em que se assinala este 80º aniversário da Água Pública no Concelho.
 
Assim, já no final de Abril será inaugurada a escultura sonora Boron, da autoria do Srosh Ensemble (um colectivo de músicos sediado no Porto, dedicado à execução de instrumentos não convencionais), com uma estrutura  que permite utilizar o escoamento das águas pluviais para produzir padrões rítmicos percutidos nos objectos metálicos que estas encontram. 
 
Em Julho, será instalado na frente ribeirinha da cidade um conjunto de instrumentos musicais de acesso público, fazendo uso de alguns dos materiais encontrados nas várias estruturas que compõem a Rede Municipal de Águas e Saneamento.
 

Calendarização do Programa de Actividades

 
Abril
  • Inauguração da Escultura Sonora “Boron”
Maio
  • Performance no Reservatório Elevado do Alto da Paiva
Junho
  • Exposição no Auditório Municipal Augusto Cabrita
Julho
  • Instrumentos Musicais de Acesso Público 
Agosto
  • Ponto de Escuta do Arquivo Sonoro nas Festas do Barreiro
Setembro
  • Lançamento do Arquivo Sonoro online